terça-feira, 16 de setembro de 2003

Grandes Vidas

O descanso dos guerreiros… Acordámos por volta das 11 da manhã depois de no dia anterior nos termos deitado às 21:30. De facto, as noites anteriores não tinham sido de muito descanso. Os mosquitos atormentaram-me o sono, e por isso este dia serviu para dormir até mais tarde.
Depois de acordar fomos levantar dinheiro. Na ilha não existem ATMs, só há um banco e uma dita “agência” onde podemos fazer cash-advance. Por acaso também é pronto-a-vestir! Fizemos o pedido, a senhora teve que telefonar para a Redunicre lá do sítio de modo a nos darem autorização… Afinal isto dos cartões de crédito (Visa e Mastercard) sempre é igual em toda a parte do mundo. Velhos tempos… Excelentes recordações…. O meu primeiro projecto profissional na Andersen Consulting, agora Accenture: Desenvolvimento do Sistema de Autorizações de Cartões de Crédito da Unicre. Coincidência ou não, neste dia usava uma t-shirt pela participação no 11º torneio de squash da Andersen Consulting.

Almoçámos um gigante e saborosíssimo hamburger no mesmo restaurante de ontem à noite, aproveitando para saldar a dívida. Como na ilha só havia 2 locais onde “comprar” dinheiro, no dia anterior, quando chegámos já estavam fechados, por isso não nos restou outra solução que ficar a dever no restaurante o jantar. De papo cheio e por mais 15€, trocámos as bicicletas alugadas no dia anterior, por uma scooter. Dar a volta à ilha a pedalar é um bocado cansativo, ainda por cima empanturrado. Ao final do dia voltámos a praticar o plano do dia anterior: deitar em frente à cabana, “assar” ao sol naquela praia deserta e tomar refrescantes mergulhos no mar….Como verdadeiros sobreviventes, descascámos uns cocos e bebemos da deliciosa água. Foi engraçado que procurámos durante todo o dia, infrutiferamente, um local para beber água de coco, acabando por fazê-lo na própria pousada pelas próprias mãos. Só faltou subir ao coqueiro!

A noite foi marcada por uma visita ao Samade. Bar típico da zona com jantar e bailarico tradicional dos Maori. O “jantar dançante” tinha uma grande variedade gastronómica. As danças Maori foram animadas e traduziam-se num ligeiro toque de sensualidade. O fecho da festa ficou a cargo de um jovem músico. Com o seu piano eléctrico ultra super moderno e todo tunning, animava a malta com música comercial. Lentamente a “pista” foi enchendo. Perdão, a praia foi enchendo! Obviamente tudo se deveu à nossa presença. Ninguém fica indiferente à nossa beleza! O jantar foi bem regado e os 4 whisky posteriores ajudaram! Todos estavam super animados. Novos e velhos. Senti que estávamos no lugar certo, na hora certa …






3 comentários:

Susaninha disse...

CONFESSO QUE AMEI O TEU LIVRO E CONFESSO QUE VOU DEDICAR UMAS PALAVRAS A UM LIVRO QUE ME DEIXOU FELIZ....

GOSTO MUITO DE TU BETAÇO:)

As regras do desafio são:
1) Escrever a lista dos 8 desejos que espero que aconteçam;
2) Convidar 8 bloggers a responder ao desafio;
3) Comentar no blog de quem partiu o convite;
4) Comentar no blog de quem convidámos;
5) Mencionar as regras aos desafiados.

Anónimo disse...

Conheci este blog, porque sigo o Brinquinho.Grande experiencia pá!
Dou-te os parabéns,senti uma ponta de inveja e ainda não li tudo.
Pedro P.

Jose Alberto Cheu disse...

Viva Pedro P,

Os outros dias do diário estão em draft pois falta escolher as fotos!

Abraços!

P.S. Se quiseres pede à susaninha um livro da experiência.